Topo
Blog Mulherias

Blog Mulherias

Conheça a cozinheira que conquistou 800 mil fãs com um pudim que poupa gás

Flávia Martinelli

26/06/2019 04h19

Dona Rúbia: fenômeno no YouTube

(Foto: Arquivo pessoal) Dona Rúbia: fenômeno no YouTube

Com reportagem de Gabriella Forabelli, especial para o Blog MULHERIAS

Dona Rúbia tem 55 anos, é cozinheira, dona de casa e um fenômeno na internet. Com 830 mil inscritos no canal Clarear, no Youtube, há menos de três anos ela compartilha receitas simples e econômicas para facilitar o dia a dia enquanto mostra a novela de sua vida real de influenciadora digital. Sua história, no entanto, começa muito antes da internet, do novo marido 24 anos mais jovem e de seu atual apartamento de piso frio, arrumadinho e bem mobiliado,  num condomínio de classe média em Rio das Ostras, no interior do Rio de Janeiro. O sucesso da mulher simples da periferia, mãe de duas filhas de um casamento de 20 anos e que vivia numa casa caindo aos pedaços também vai além dos dotes culinários, ingredientes econômicos ou técnicas para baratear os custos em tempos de crise.

"Oi, gente! Eu vim mostrar pra vocês como é que ficou minha parede. Oi, meus amôôô! Olha a cortina que eu fiz! É uma rendinha que eu já tinha. Fiz pra enfeitar, pra decorar, ó. Olha como é que ficou lindo!", cumprimenta Dona Rúbia num vídeo de outubro de 2016, ainda nos primórdios de sua ascensão. Sincerona e alegre, ela pede pra ninguém reparar em sua casa modesta e conta que fez a cortina sozinha. "Aí não fica aparecendo as bagunças lá de fora, né? Pode até abrir a janela pra fazer filmagem para vocês. Tá ficando lindo, num tá, gente? Tá parecendo casa de rico".

Veja também

Além da cortina, ela apresenta seus bibelôs na cozinha e sua família. Mostra as canecas com as fotos das netas e as lembrancinhas de aniversários delas, o baleiro que ganhou de presente da irmã há 30 anos, as frutas de cera, a bandeja que comprou por R$ 7 no bazar da igreja. Claro que aproveita para limpar os armários e mostrar as xícaras de café para as visitas enquanto conta que vai visitar a filha que anda estressada. "Fiz muita faxina para criar minhas meninas. As mulheres brigavam quando eu arrumava outra coisa que pagava mais um bocadinho", conta no post, explicando que estava atendendo aos pedidos dos seguidores para saber de sua vida. Respondeu até sobre a queimadura no braço num acidente de trabalho.

"E eu achava que a internet não trazia  nada de bom… Foi minha filha que teve essa ideia de fazer vídeo porque me achava engraçada", recorda a convidada do YouTube para dar palestra sobre seu canal. 

Nascida Rita de Cássia Benedito, Dona Rúbia trabalhava como cozinheira em um restaurante nobre e tinha tripla jornada: a primeira no emprego formal, à noite ajudava sua chefe em outro comércio para complementar a renda e ainda cuidava dos afazeres domésticos. Pouco antes de se separar, decidiu trazer de volta uma das filhas que havia terminado o casamento. A secretária Patrícia Alessandra, de 29 anos, veio com as suas duas netinhas de Dona Rúbia e a família decidiu que ela cuidaria das crianças em casa. Patrícia cuidaria do sustento.

A primeira tentativa de vídeo não deu muito certo, "não me senti eu mesma". Só depois de muita insistência de Patrícia Rúbia topou outro post. "Era um domingo. Eu tinha só R$ 12 para fazer o almoço e decidi cozinhar uma macarronada e gravei sendo eu mesma". Bingo! "Foi tipo um milagre, íamos receber a última parcela do meu seguro-desemprego quando ganhei meu primeiro salário do YouTube. Foram 5 mil reais, menina! Paguei todas nossas contas e deu pra melhorar um pouco a situação."

Naquela época, a rentabilidade do YouTube era feita a partir de visualizações nos vídeos. Atualmente o valor é definido pelo tempo gasto dos usuários no canal do influenciador. Mamata para Rúbia. Seus posts de cozinha em tempo real com histórias de sua vida chegam a ter até mais de meia hora de duração.

Dona Rúbia adquiriu, aos poucos, o hábito de postar várias vezes por dia em diferentes situações. No histórico do canal, é  possível acompanhar desde suas escolhas de acabamentos em loja de material de construção para a reforma da antiga casa ou hoje, em viagem com hotel chique a convite para uma palestra ou num restaurante onde experimenta o que no passado preparava para clientes. A interação com os seguidores vai além do "oi, meus amô". Rúbia conta que fez amigos. "Eu criei uma família na internet, eles me visitam, vêm na minha casa, ficam de mal criação quando eu não respondo, mas são meus 'amô'."

No vídeo "É possível ser feliz sem dinheiro?" dona Rúbia responde aos comentários dos internautas sobre tudo: da garota de Santa Catarina que quer saber como ser notada pelo garoto que gosta a como fazer uma festa sem grana para o churrasco. "Tá fácil essa festa! Compra asa, umas linguiças, um salsichão que você ferventa e coloca na brasa! Faz uma farofa temperada, coloca bastante cebola que não tá caro, torra o pão e faz farinha, um arroz e já tá ótimo com uma maionese. O almoço tá pronto, meu bem! Tem comida e festa pra todo mundo".

Em tempo: para ser notada pelo garoto Dona Rúbia também não economiza nos conselhos."Ah, minha filha, tem que ser ousada, né? Tem que botar pra quebrar! Tem que passar na frente dele toda hora… Se ele não te notar assim mesmo você tropeça, cai na frente. Mostra todo o 'relexo' que tem dentro de você. Tá tão difícil arrumar homem e  um relacionamento, uma pessoa de compromisso. É melhor partir pra cima com vontade com sangue nos zóio"

O pudim que mudou a vida

Foi com o vídeo "Pudim em 15 minutos | Economize seu gás", de dezembro de 2016, que a Youtuber alcançou fama e fez do canal a sua profissão. Nele, dona Rúbia ensina a receita rápida de poucos ingredientes na panela de pressão e mostra como driblar o custo do botijão – produto cujo preço chegou a ficar congelado por mais de uma década como política pública e passou a ser taxado a partir das cotações internacionais em 2017.

O vídeo do pudim tem 20 minutos e hoje acumula mais de 8 milhões de visualizações. Não por acaso, foi a partir dele que empresas começaram a enviar produtos para o canal Clarear. Marcas como Qualitá, Atacadão Atacado Tenda e Nestlé foram alguns dos patrocinadores. Mas Rúbia não mostra apenas as ações de marketing institucional. Seus seguidores continuam protagonistas. A influencer agradece com efusividade desde a lembrancinha que ganhou de uma criança até o recebimento em mãos de eletrodomésticos que foram presenteados pelos seguidores a partir de vaquinhas na internet.

Com um ano de canal, a influenciadora seguiu um rumo que jamais esperava. Para começar, conheceu seu atual marido, José Antônio, de 31 anos, que era seu vizinho. Tempos depois, dona Rúbia se mudou para um apartamento alugado num condomínio. Patrícia virou empresária: pediu as contas no emprego de secretária para cuidar da carreira da mãe. A outra filha, costureira de 34 anos, segue os passos de Rúbia e virou e criou Canal da Kriscia Lima, seu nome. Mostra de tudo por lá também.

Para Dona Rúbia, o canal é mais que trabalho. Ela conta que já recebeu mensagens e e-mails de mulheres que conseguiram sair da depressão, que começaram a trabalhar graças aos vídeos. "Sempre falam que me vem varrendo o chão, lavando a louça, fazendo comida e isso dá força também. Olha, no final das contas, quero mostrar pra outras mulheres que é possível ser feliz, que mesmo com pouco dinheiro você pode ser feliz e alcançar seus sonhos."

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Flávia Martinelli é jornalista. Aqui, traz histórias de mulheres das periferias e vai compartilhar reportagens de jornalistas das quebradas que, como ela, sabem que alguns jardins têm mais flores.

Sobre o blog

Esse espaço de irmandade registra as maravilhosidades, os corres e as conquistas das mulheres das quebradas de São Paulo, do Brasil e do mundo. Porque periferia não é um bloco único nem tem a ver com geografia. Pelo contrário. Cada uma têm sua identidade e há quebradas nos centros de qualquer cidade. Periferia é um sentimento, é vivência diária contra a máquina da exclusão. Guerrilha. Resistência e arte. Economia solidária e make feita no busão. É inventar moda, remodelar os moldes, compartilhar saídas e entradas. Vamos reverenciar nossas guardiãs e apresentar as novas pontas de lança. O lacre aqui não é só gíria. Lacrar é batalha de todo dia. Bem-vinda ao MULHERIAS.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Mulherias